Fale Conosco

Você pode tirar suas dúvidas e enviar sugestões. Se esta é a primeira vez que você entra em contato conosco, preencha o formulário de contato logo abaixo.

Nossos Contatos

(34) 3218-3098
Rua Lapa do Lobo, 800
Bairro Granja Marileusa
Cep: 38406-644
Uberlândia-MG

Envie uma mensagem

Sala de Imprensa

Para saber mais, envie um e-mail para imprensa@algar.com.br

Perguntas Frequentes

1. Qual a atuação do Instituto Algar em meio ambiente?

O Instituto Algar acredita que é papel do setor privado cuidar do meio ambiente e contribuir para minimizar os impactos ambientais das atividades das empresas do Grupo. É por isso que criou o Programa Algar Sustentável, que tem como foco o monitoramento e a proposição de ações para redução da emissão de gases de efeito estufa.

A atuação ambiental do Instituto Algar é feita por meio do Programa Algar Sustentável, que dissemina o conceito de sustentabilidade, diagnostica e aperfeiçoa as práticas nas empresas Algar.

O Programa Algar Sustentável atua, principalmente, na governança climática das empresas. Para isso, o Instituto Algar dá as diretrizes, mobiliza e consolida os resultados gerados no que se refere às ações de sustentabilidade.

Todo o trabalho é conduzido pelo Instituto Algar e pelos Comitês de Sustentabilidade que existem em cada uma das empresas Algar. São ao todo 10 comitês, compostos de cerca de quatro a cinco pessoas, sendo que cada comitê tem um líder e um co-líder, que são as pessoas que estão em contato direto com o Instituto Algar e recebem as nossas diretrizes.

O programa desenvolve ainda formações corporativas sobre assuntos pertinentes à sustentabilidade, governança climática, workshops com assessorias especializadas sobre emissões de gases de efeito estufa e inventário de carbono, além de gerenciamento estratégico do carbono nas empresas Algar.

2. Por que a Algar elegeu o foco Educação – Ensino Fundamental para seus programas sociais?

Para a Algar, a educação é a base do desenvolvimento de um país. Isso significa que, só teremos um Brasil melhor se tivermos uma educação melhor.

Acreditamos numa educação integral, que ofereça às pessoas, novas oportunidades e as forme para fazerem suas escolhas.

3. Como o Instituto Algar atua em sustentabilidade?

O Instituto Algar trabalha com foco na sustentabilidade. O princípio é simples: acreditamos que, ao utilizarmos os recursos disponíveis, estamos garantindo que as futuras gerações usufruam desses mesmos recursos.

Para nós, a sustentabilidade é a integração das dimensões educacional, ambiental e cultural e é desta maneira que atuamos.

A atuação educacional do Instituto Algar envolve a qualidade da educação, por meio de parcerias com escolas públicas, investimentos na formação continuada de educadores e alunos, realização de projetos de longa duração e prazo determinado e aliança com assessorias especializadas em educação. Trabalhando em prol de melhores práticas na educação, o Instituto Algar conta com quatro programas: Programa Algar Lê, Programa Talentos do Futuro, Programa Transforma e Programa de Voluntariado.

A segunda atuação do Instituto Algar pela sustentabilidade é a ambiental. Por meio do Programa Algar Sustentável, disseminamos o conceito, diagnosticamos e aperfeiçoamos as práticas de sustentabilidade nas empresas Algar. Esse programa atua, principalmente, na redução de emissão de gases de efeito estufa nas empresas. Para isso, o Instituto Algar dá as diretrizes, mobiliza e consolida os resultados gerados no que se refere às ações de sustentabilidade. 

Já na atuação cultural, o Grupo Algar beneficia projetos culturais e esportivos, já que suas empresas possuem um grande potencial de incentivos fiscais, oriundos de impostos das leis de incentivo municipal (ISS e IPTU – Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Uberlândia), estaduais (ICMS – Lei Estadual de Incentivo à Cultura – Minas Gerais e São Paulo) e federais (Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), Lei Federal de Incentivo à Cultura – “Lei Rouanet” e Lei do Esporte).

4. Como uma escola ou instituição de educação pode ser parceira do Instituto Algar?

Para se tornar uma escola parceira, é preciso que ela esteja localizada em uma das seguintes cidades: 

Balsas – Maranhão
Franca – São Paulo
Ituiutaba – Minas Gerais
Itumbiara – Goiás
Pará de Minas – Minas Gerais
Patos de Minas – Minas Gerais
Porto Franco – Maranhão
Ribeirão Preto – São Paulo
Uberaba – Minas Gerais
Uberlândia – Minas Gerais
No início de cada ano é lançado um edital de seleção de escolas no site do Instituto Algar.
Estes editais contêm os critérios específicos para participação nos projetos sociais.

5. O que é Investimento Social Privado?

Incluem-se neste universo as ações sociais protagonizadas por empresas, fundações e institutos de origem empresarial ou instituídos por famílias ou indivíduos.

A preocupação com o planejamento, o monitoramento e a avaliação dos projetos é intrínseca ao conceito de investimento social privado e um dos elementos fundamentais na diferenciação entre essa prática e as ações assistencialistas.

Diferentemente do conceito de caridade, que vem carregado da noção de assistencialismo, os investidores sociais privados estão preocupados com os resultados obtidos, as transformações geradas e o envolvimento da comunidade no desenvolvimento da ação.

Fonte: Grupo de Instituto, Fundações e Empresas – GIFE

6. O que é o Instituto Algar?

O Instituto Algar é uma organização sem fins lucrativos, criada em janeiro de 2002, para coordenar e orientar os programas sociais do grupo Algar.

Os programas sociais desenvolvidos pelo Instituto Algar têm como foco a Educação – Ensino Fundamental.

7. O que é ser voluntário?

Voluntário é o cidadão que, motivado pelos valores de participação e solidariedade, doa seu tempo, trabalho e talento, de maneira espontânea e não-remunerada, para causas de interesse social e comunitário.

Fonte: Comunidade Solidária.

8. O que é sustentabilidade?

São inúmeros os conceitos dados à palavra sustentabilidade. O Instituto Algar segue o definido pelo Instituto Ethos, que diz que “a sustentabilidade está diretamente associada aos processos que podem manter-se e melhorar ao longo do tempo”.

Veja abaixo como Oded Grajew, presidente emérito do Instituto Ethos, traduz a sustentabilidade.

Embora em voga nos mais variados meios, o conceito de “sustentabilidade” ainda é pouco compreendido tanto por quem fala sobre ele quanto por quem ouve. Nos últimos anos intensificou-se a discussão a respeito do aquecimento global e do esgotamento dos recursos naturais. Preocupações legítimas e inquestionáveis, mas que geraram distorção no significado de sustentabilidade, já que esta passou a ser associada tão somente às questões ambientais.

Não é só isso. A sustentabilidade está diretamente associada aos processos que podem manter-se e melhorar ao longo do tempo. A insustentabilidade comanda processos que se esgotam, não se mantêm e tendem a morrer. E isto depende não apenas das questões ambientais. São igualmente fundamentais os aspectos sociais, econômicos, políticos e culturais.

Entretanto, mais do que definir o conceito, sustentabilidade e insustentabilidade se tornam claras quando traduzidas em situações práticas.

Esgotar recursos naturais não é sustentável. Reciclar e evitar desperdícios são sustentáveis. Corrupção é insustentável. Ética é sustentável. Violência é insustentável. Paz é sustentável.

Desigualdade é insustentável. Justiça social é sustentável. Baixos indicadores educacionais são insustentáveis. Educação de qualidade para todos é sustentável.

Ditadura e autoritarismo são insustentáveis. Democracia é sustentável.

Trabalho escravo e desemprego são insustentáveis. Trabalho decente para todos é sustentável.

Poluição é insustentável. Ar e águas limpos são sustentáveis. Encher as cidades de carros é insustentável. Transporte coletivo e de bicicletas é sustentável.

Solidariedade é sustentável. Individualismo é insustentável.

Cidade comandada pela especulação imobiliária é insustentável. Cidade planejada para que cada habitante tenha moradia digna, trabalho, serviços e equipamentos públicos por perto é sustentável.

Sociedade que maltrata crianças, idosos e deficientes não é sustentável. Sociedade que cuida de todos é sustentável.

Evidências e dados científicos mostram que o atual modelo de desenvolvimento é insustentável, ameaçando inclusive a própria sobrevivência da espécie humana.

Provas não faltam:

– Destruímos quase a metade das grandes florestas do planeta, que são os pulmões do mundo;

– Liberamos imensa quantidade de dióxido de carbono e outros gases causadores de efeito estufa, num ciclo de aquecimento global e instabilidades climáticas;

– Temos solapado a fertilidade do solo e sua capacidade de sustentar a vida: 65% da terra cultivada foram perdidos e 15% estão em processo de desertificação;

– Cerca de 50 mil espécies de plantas e animais desaparecem todos os anos, em sua maior parte em decorrência de atividades humanas;

– Produzimos uma sociedade planetária escandalosa e crescentemente desigual: 1.195 bilionários valem, juntos, US$ 4,4 trilhões, ou seja, quase o dobro da renda anual dos 50% mais pobres. O 1% de mais ricos da humanidade recebe o mesmo que os 57% mais pobres;

– Os gastos militares somam US$ 1,464 trilhões por ano (e crescem a cada ano), o equivalente a 66% da renda anual dos 50% mais pobres.

Este cenário pouco animador mostra a necessidade de um modelo de desenvolvimento sustentável. Cabe a nós torná-lo possível e viável.

Artigo publicado originalmente no jornal Folha de S.Paulo, em 7 de maio de 2013.

9. Quais são os programas desenvolvidos pelo Instituto Algar?

– Algar Educa
– Algar Lê
– Algar Transforma

10. Qual a abrangência dos programas desenvolvidos pelo Instituto Algar?

Nossos três programas sociais têm como foco a educação de ensino fundamental e beneficiam alunos e educadores de quatro estados brasileiros: Goiás, Maranhão, Minas Gerais e São Paulo.

Através de parcerias com 90 escolas públicas, desenvolvemos atividades de formação continuada de educadores e de alunos com o objetivo pedagógico de alavancar letramento. Para isso, são abordados conteúdos fundamentais como:
Educação ambiental;

Língua portuguesa (produção de cartas, leitura por prazer e práticas de oralidade);
Matemática;
Inclusão digital.
Dentro de um dos programas desenvolvidos, há o envolvimento de 15 comitês de voluntariado da Algar que, só em 2008, contou com a participação de 468 associados como voluntários.

11. Qual a atuação do Instituto Algar em cultura?

O Grupo Algar é constituído por empresas que possuem um grande potencial de incentivos fiscais, oriundos de impostos das leis de incentivo municipal (ISS e IPTU – Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Uberlândia), estaduais (ICMS – Lei Estadual de Incentivo à Cultura – Minas Gerais e São Paulo) e federais (Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), Lei Federal de Incentivo à Cultura – “Lei Rouanet” e Lei do Esporte).

A área financeira da Holding é responsável por levantar o potencial das empresas Algar que podem contribuir com projetos nas áreas:

– Cultural

– De proteção à criança e ao adolescente em situação de risco

– De incentivo aos esportes

Feito o levantamento do potencial de incentivos fiscais, a área financeira reporta este valor ao Comitê Corporativo, que faz a prospecção de projetos aderentes às diretrizes.

Os projetos selecionados pelo Comitê Corporativo de Cultura para patrocínio podem ter caráter social, mercadológico ou proprietário. Os projetos sociais visam contribuir com o desenvolvimento das comunidades onde o Grupo Algar está inserido, possibilitando a ampliação do universo cultural da população local. Os projetos mercadológicos têm como objetivo fortalecer a marca Algar e possibilitar o estreitamento do relacionamento com os clientes. Os projetos proprietários são oriundos de solicitações dos acionistas, relacionamentos institucionais e projetos próprios.

A gestão dos incentivos fiscais é compartilhada entre o Instituto Algar, a Assessoria de Mercado e Comunicação e a Algar Telecom.

12. Qual a atuação do Instituto Algar em educação?

Para a Algar, a educação é a base do desenvolvimento de um país. Isso significa que só teremos um Brasil melhor se tivermos uma educação melhor.

Para contribuir com uma educação de mais qualidade, o Instituto Algar conta com quatro programas educacionais: Programa Algar Lê, Programa Talentos do Futuro, Programa Transforma e Programa de Voluntariado.

No Programa Algar Lê, a proposta é a utilização do jornal e outras mídias em sala de aula. A formação continuada de educadores tem como objetivo melhorar o desempenho dos alunos nas habilidades linguísticas, leitura, escrita e letramento, além de estimular a apropriação do trabalho com gêneros textuais e da leitura de mundo de educadores e alunos.

São beneficiados alunos e educadores das escolas parceiras do Instituto Algar em Uberlândia (MG), Balsas (MA) e Porto Franco (MA).

Os educadores do Programa Algar Lê participam de encontros de formação, em que são desenvolvidas estratégias de trabalho e reflexões para o desenvolvimento da leitura e da produção de textos. Além disso, com o intuito de promover a ampliação do universo cultural, os alunos e educadores participam de visitas ao Parque Gráfico do Jornal Correio de Uberlândia.

O Programa Talentos do Futuro tem como foco a preparação de jovens para o mercado de trabalho. A proposta é contribuir com a aproximação de jovens estudantes do ensino médio ao mundo do trabalho e suas competências.

São beneficiados alunos do ensino médio das cidades de Balsas e Porto Franco (MA), Divinópolis, Ituiutaba, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia (MG), Franca, Jundiaí e Sorocaba (SP).

Tendo em vista a potência de conhecimento do Grupo Algar nas áreas de TI, Telecom e Agronegócios, o programa promove aos jovens o desenvolvimento de habilidades e de conhecimentos necessários para o futuro ingresso no mundo do trabalho e eventual desempenho das profissões. Para isso, o Instituto Algar tem como parceira uma rede de instituições para atendimento dos alunos em cursos e formação de instrutores.

O Programa Transforma desenvolve oficinas com crianças e adolescentes nas esferas de Cultura e Artes, Cultura Digital e Formação Profissional, além de atividades com voluntários do Grupo Algar. O objetivo é promover o desenvolvimento de crianças e adolescentes por meio da educação e da cultura, com oficinas no contra turno escolar.

São beneficiados alunos de escolas públicas de ensino fundamental e médio do setor leste de Uberlândia (MG), onde observa-se baixo aparelhamento social e cultural, além de ser uma comunidade com baixa escolaridade e acesso a espaços e ações culturais na cidade. O programa acontece no CESAG (Centro Esportivo e Social Alexandrino Garcia), abrangendo os bairros Morumbi, Alvorada, Joana D’Arc, São Francisco, Zaire Rezende, Prosperidade, Celebridade e Dom Almir.

Nas oficinas, os participantes são convidados a vivenciar e a produzir, desenvolvendo e exercendo sua autonomia e protagonismo. São elas:

Artes Integradas: canções, brincadeiras, canto, teatro e percussão.

Literatura: vivência e produção literária.

Música: aulas de violino e prática de orquestra.

Cultura Digital: produção e publicação de vídeos.

Minicurso de Programação: aulas de programação e maratonas.

Formação para o Trabalho: qualificação profissional.

Além disso, são realizados passeios culturais, eventos como mostra de resultados e atividades com voluntários e com familiares.

O Programa de Voluntariado é o programa por meio do qual os associados do Grupo Algar trabalham como voluntários, doando seu tempo, trabalho e talento em atividades estruturadas. A proposta é que os voluntários atuem na aprendizagem como agentes de mobilização de interesses e motivações.

São beneficiados alunos de escolas públicas das cidades onde o Grupo Algar atua.

Em cada empresa Algar, é escolhido um associado que desempenha a função de Líder Sustentável. É ele o responsável por recrutar voluntários na sua empresa para o Comitê de Voluntariado e organizar as atividades com as escolas.

Os voluntários têm o desafio de trabalhar com no mínimo uma sala de aula, com cerca de 30 alunos.

As atividades são desenvolvidas na forma de clubes, que, atualmente, são dois: Clube de Leitura e Clube de Correspondência.

No Clube de Leitura, o objetivo é formar leitores autônomos que tenham prazer em ler. Para isso, os voluntários organizam oficinas de leitura, além de visitas a bibliotecas e entrevistas com escritores para aproximar os alunos da produção literária.

No Clube de Correspondência, a ideia é estimular a escrita por meio da troca de cartas entre alunos e voluntários, instigando a curiosidade entre eles, uma vez que se conhecem pessoalmente apenas após várias correspondências. Nesse processo, o voluntário tem como papel inaugurar o processo de troca de correspondência e é quem oferece um modelo de aprendizagem de escrita para os alunos.