Blog

Como o Instituto Algar se reinventou com lives para público infantil e jovem na pandemia

As atividades online se tornaram ainda mais intensas durante este momento de pandemia, no qual milhares de pessoas estão muito mais tempo em casa com a família. Por isso, neste contexto, as lives para público infantil e jovem se tornaram não apenas populares, como também importantes para várias áreas.

Um dos setores que se transformaram por causa da pandemia é o social. E como todos os programas sociais do Instituto Algar sempre aconteceram de forma presencial e, também, foram surpreendidos com a suspensão das atividades presenciais, em função das orientações da OMS e autoridades governamentais de todas as esferas, se fazia necessário encontrar uma maneira de continuar com os atendimentos e de manter o vínculo com os beneficiários, principalmente, afetivo. Porém, essa dificuldade passou a ser comum à todas as instituições sociais do país e com isso surgiram algumas soluções e também novas formas de uso de diversas ferramentas e soluções que possibilitassem a continuidade das atividades que beneficiam milhares de pessoas, todos os anos.

Foi o que o Instituto Algar fez com dois, de seus programas sociais, voltados para crianças e jovens que, durante o isolamento social, puderam levar muitos conteúdos relevantes por meio de lives para o público infantil e jovem.

Saiba mais sobre os projetos Live Kids e Live Jovens, do Instituto Algar, que somaram mais de 35.000 visualizações!

Por que se reinventar na pandemia

Em meio à pandemia, foi preciso acelerar mudanças ou mesmo reinventar projetos. No caso de programas sociais, o Instituto Algar implantou medidas de forma ágil para que a quarentena não impedisse a atuação de seus programas.

“A formalização da pandemia acelerou um desejo antigo de termos atividades também no digital e de transformar nossos programas em versões híbridas, com parte das ações presenciais e parte à distância”, afirma Carolina Toffoli Rodrigues, gerente do Instituto Algar.

Dessa forma, os programas: Transforma e o Talentos do Futuro foram reinventados para se adequar a este período de isolamento social. Desse modo, nasceu os projetos Live Kids, destinado para crianças e adolescentes e Live Jovem, idealizado para jovens que desejam ingressar ou permanecer no Mercado de Trabalho. Juntos, estes dois projetos tiveram milhares de visualizações. Ao mesmo tempo, o alcance desses programas extrapolou o ambiente físico, beneficiando ainda mais pessoas. Saiba mais sobre cada projeto.

Live Jovens e o Mercado de Trabalho

O projeto Jovens e o Mercado de Trabalho (lives) foi resultado da reinvenção do Programa Talentos do Futuro, criado em 2014 para atender a alunos ou concluintes do ensino médio de escolas públicas, entre 15 e 23 anos. De acordo com Marthina Endo Prado, Gestora do Programa Talentos de Futuro do Instituto Algar, o programa passou por muitas transformações.

“Começamos com uma trilha de aquecimento digital direcionada aos jovens que já estavam inscritos no Programa. Tivemos resultados incríveis! Isso nos impulsionou a criar uma versão 100% digital do Programa Talentos de Futuro, mantendo-o ativo durante todo esse período”, afirma. 

Durante 4 meses de atividade ininterrupta, foram realizadas 10 livres com a ajuda de convidados e especialistas em temas relacionados a mercado de trabalho. Com isso, foram mais de 3 mil visualizações. “Além disso, as lives relacionadas ao mercado de trabalho possibilitaram que o conhecimento chegasse mais longe. Esses movimentos trouxeram novos aprendizados, perspectivas e fortaleceu ainda mais nossa relação com as organizações sociais parceiras”, disse Marthina.

Live Kids

“Logo no início da pandemia, com a suspensão das atividades presenciais, sentimos que precisávamos fazer algo (e rápido) para continuar mantendo o vínculo, principalmente afetivo, com as mais de 2.000 crianças e adolescentes atendidos anualmente pelo Programa Transforma”, explica Thiago Frank Mendes, Gestor do Programa Transforma. 

O Programa Transforma foi criado em 2006 com foco em crianças e adolescentes entre 6 e 16 anos. Para não perder o vínculo com esse público, o Instituto Algar se reinventou. “Após algumas conversas e reuniões, decidimos nos enveredar pelo caminho das lives. Criamos, então, a Live Kids, que durante 04 meses ofereceu conteúdo artístico, cultural e educativo de qualidade, de segunda a sexta-feira, para esse público, todas as manhãs”, conta.

O projeto foi um sucesso: foram mais de 100 lives, feitas com a ajuda de 80 convidados voluntários, de 4 países, 8 estados e 32 cidades, que trouxeram mais de 32.000 visualizações. “O que nos deixou ainda mais felizes foi a possibilidade de extrapolar essa audiência, pois além dos atendidos pelo programa, as lives ficavam disponíveis para a comunidade em geral“, disse Thiago.

Assista à edição comemorativa Live Kids e Live Jovens promovida pelo Instituto Algar no Instagram para conhecer todos os detalhes das duas iniciativas de lives para o público infantil e jovem.

Gostou do artigo? Veja mais conteúdos sobre educação e cultura no blog do Instituto Algar