Notícias


24 Jun

Como aplicar a inteligência emocional na sala de aula


A inteligência emocional na sala de aula vai muito além das tarefas comuns. É uma ferramenta de ensino com foco na evolução emocional das crianças.

Ela é pautada em estímulos para que cada um saiba lidar com os sentimentos próprios e alheios. Dessa forma, as crianças terão um maior controle sobre suas emoções e, por consequência, saberão solucionar problemas.

O papel da escola é fundamental no crescimento emocional das crianças. Afinal, é ali que elas passam boa parte da sua infância!

Por isso, a inteligência emocional chegou como um apoio psicológico para a compreensão dos sentimentos e comportamentos na sala de aula. Com isso, é esperado melhorias pontuais em postura, aprendizado, empatia e autoestima. Existem duas formas de aplicação mais usadas:

  • A primeira é uma disciplina específica para a aprendizagem dessa inteligência. Com incentivo à discussões e conversas entre professores e alunos ou entre alunos e alunos. Ela é focada em trabalhar a compreensão de cada sentimento e a necessidade de lidar com cada um deles.
  • A segunda aplicação é o treinamento de professores para o uso dessa ferramenta em momentos diferentes durante as aulas tradicionais. Como momentos de brigas entre aulas ou frustrações, por exemplo. Também com incentivo às conversas e a resolução de determinados problemas.

Benefícios da inteligência emocional

Em dia com a autoestima

A autoestima influencia em todas as fases da vida de uma pessoa, desde a apresentação de um trabalho escolar até a conquista de um emprego no futuro. Por isso, trabalhar com os sentimentos próprios e sobre como lidar com cada um deles é essencial para uma criança.

Aceitar frustrações

Uma coisa é fato: as decepções fazem parte da vida. E as crianças precisam começar desde cedo a lidar as frustrações e derrotas. Isso ajudará na formação de adultos mais seguros e bem resolvidos. Por isso, trabalhar a coragem para resolver pensamentos negativos do dia-a-dia faz parte da inteligência emocional.

Vontade de aprender

As crianças vão aprender melhor se o lado emocional delas estiver equilibrado. Quando a inteligência emocional é aplicada desde cedo, ela pode ajudar as crianças a desenvolver habilidades artísticas, como tocar instrumentos, desenhar e escrever. O hábito de criar e desenvolver impacta diretamente no aprendizado de matérias tradicionais como a matemática, por exemplo.

Saber viver em sociedade

Ao trabalhar com a emoção das crianças, a empatia deve vir à tona. Desenvolver os sentimentos individualmente colaboram para entender os sentimentos de outros. Assim, o ato de “se colocar no lugar do outro” eleva o convívio em sociedade.

Saber se comunicar

É normal negarmos ou escondermos sentimentos negativos. Mas trabalhar com a inteligência emocional é fazer exatamente o contrário. Expor esses sentimentos da forma correta colabora para uma corajosa forma de comunicação. Além disso, os problemas serão mais facilmente resolvidos quando eles estão expostos.

Qual o papel do professor?

A inteligência emocional também é uma ajuda incrível para os professores. Conversando com seus alunos e entendendo seus sentimentos, eles serão capazes de analisar determinadas soluções para cada situação.

Assim, esse conhecimento se torna essencial em sala de aula, algo que ajuda ainda mais no desenvolvimento infantil, emocional ou pedagógico.

Cabe aos professores trabalhar também a própria inteligência emocional para que isso se reflita em um bom desempenho da ferramenta. Só assim, ele será capaz de identificar problemas e ajudar.

“A partir do momento que o professor reconhece as emoções do aluno, cria uma enorme chance de aumentar a intimidade, transmitir experiência e compartilhar dificuldades. O aluno passa a se sentir valorizado”. Priscila Costa - Pedagoga em entrevista para o artigo “Inteligência emocional na sala de aula” do curso de Psicologia da UEL (Universidade Estadual de Londrina).

O Instituto Algar ajuda no desenvolvimento da Escola da Inteligência, um programa criado em parceria com o Instituto Hortense, que busca levar a educação de forma eficaz, melhorando a autoestima e a comunicação dos alunos. 

Assim, eles praticam a resolução de conflitos, internos e coletivos, e têm mais motivação para aprender. Com o uso da metodologia proposta por Augusto Cury, o programa atende 13 escolas rurais da cidade de Uberlândia.

A Escola da Inteligência é um exemplo de como de como a inteligência emocional transforma pessoas. Por isso, é importante que as instituições compreendam os valores desse método. 

O investimento nessa área é um investimento no próprio futuro, ensinar por ensinar já deixou de ser uma opção para escolas, principalmente infantis. É preciso ter em mente que métodos de ensino mais modernos fazem diferença na aprendizagem!

O mundo está em constante evolução. Por isso, é importante que a educação acompanhe essas mudanças. A inteligência emocional faz parte de um desenvolvimento educacional que foca na melhoria do futuro individual e coletivo.

Assim como novas metodologias de ensino que buscam levar para os alunos uma experiência diferenciada, a tecnologia na educação tem o papel fundamental de oferecer métodos de ensino modernos.



Comentários